Estado ‘COACH’ – Your reality is a function of your state

O coaching generativo, desenvolvido por Stephen Gilligan e Robert Dilts, representa uma nova abordagem de mudança transformacional, que assenta no pressuposto de que a nossa realidade é uma função do nosso estado. Dito de outra forma, a capacidade de alguém criar conscientemente para si, realidades positivas, como por exemplo alinhar-se com a sua missão no mundo, criar um novo futuro, alterar padrões negativos que a limitam, ultrapassar obstáculos com origem no passado, entre outros, está diretamente relacionado com o seu estado – é um resultado desse estado.

 

O estado de alguém, depende do estado das suas mentes somática, cognitiva e de campo. A mente somática é a mente primitiva, a mente que está dentro do corpo, a mente mamífera, primária. Há todo um padrão de sabedoria na mente somática com a qual o indivíduo pode ou não estar conectado. A mente cognitiva é a mente lógica, analítica, linear, a mente “da cabeça”. Por seu turno, a mente de campo emerge através da nossa conexão e relacionamento com outros sistemas à nossa volta, pela tomada de consciência de que não há consciência apenas dentro de cada um de nós - existe também consciência ao nosso redor, no campo.

 

Em estados somáticos de baixo nível, em presença de padrões cognitivos rígidos, ou existindo falta de conexão com campos de recursos mais amplos não é possível ao indivíduo gerar realidades positivas pois o trabalho generativo está para além desse estado primitivo ou de ego fixo, apresentando-se como uma dança flexível entre os mundos lógicos e o mundo quântico.

 

Não é pois de estranhar que um dos primeiros passos do trabalho generativo seja o de promover no coach e no seu cliente, um estado que os autores designaram por estado COACH, e que apresenta as seguintes características:

  • Centered (centrado)
  • Open (aberto)
  • Aware (consciente)
  • Connected (conectado)
  • Holding (mantendo)

É a partir do desenvolvimento desse estado COACH, desse estado generativo, que se pode promover a descoberta, criação, enriquecimento, fortalecimento e elaboração de recursos para criar algo novo. É a partir desse estado de maior consciência do próprio e dos outros que se podem construir níveis mais elevados de realização e eficácia.

Comments

comments

Similar posts
  • Pssssst TU! Sim TU! Conheces aquela sensação de estares a viver dividido entre o que desejas e o que achas que podes? Como se uma parte de ti quisesse ir, avançar, criar a tua melhor versão e a outra parte te dissesse não dá, é impossível, não és capaz? Conheces a história do bebé elefante que nasce no circo [...]
  • From Crash to Coach Já lhe aconteceu aquele momento de crise em que parece que tudo se desmorona à sua volta? Em que o mundo, tal como o conhece, deixa de existir? Em que a incerteza e a vulnerabilidade tomam conta de si?   São os momentos das grandes mudanças de vida com que, em regra, mais cedo ou [...]
  • Peak Performance   “When we plant a rose seed in the earth, we notice that it is small, but we do not criticize it as "rootless and stemless." We treat it as a seed, giving it the water and nourishment required of a seed. When it first shoots up out of the earth, we don't condemn it [...]
  • Liderança espiritual – Um novo... “A espiritualidade pode aumentar o potencial intuitivo e criativo dos colaboradores, fomentar a honestidade e a confiança entre os membros organizacionais e entre eles e os stakeholders, aumentar o sentido de realização pessoal dos indivíduos, assim como melhorar o empenhamento dos colaboradores na organização e promover o desempenho organizacional.” Krishnakumar e Neck (2002)   O [...]
  • Afinal, quem são os adultos nesta his... Os desafios que se colocam contemporaneamente aos educadores, parecem multiplicar-se diariamente. Uma profunda revolução humana está em curso com a emergência de novos valores, novas prioridades, novos interesses, novas descobertas… Crianças e jovens vivem hoje num mundo em constante mudança, construindo e ajustando a cada momento visões do mundo, da vida e de si mesmos [...]

Sem comentários ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *